Conheça apps que ajudam a decorar a casa

Deixar um comentário

Que tal contar com a tecnologia para ajudar na hora de decorar sua casa? Confira abaixo alguns aplicativos para smartphones e tablets que podem ajudar – e muito – na hora de definir itens da decoração de um ambiente:
Coral Visualizer: Este aplicativo permite ao usuário simular virtualmente novas cores nas paredes e enxergar o resultado em tempo real, conforme move a câmera pelo cômodo. Também é possível definir a quantidade de tinta que será usada para pintar determinado espaço. Tem mais de 2 mil tonalidades de tintas disponíveis.
App gratuito. Download Android e IOS.

Emolduras: Se você sempre tem dúvidas na hora de combinar os quadros que vai colocar em uma parede ou se não sabe qual moldura escolher, este aplicativo pode ajudar bastante. Ele permite que você fotografe as peças que quer pendurar, combinando-as virtualmente com diversas molduras. O mais legal é que tudo isso pode ser feito sobre a imagem do próprio ambiente a ser decorado.
App gratuito. Download IOS.

Homestyler Interior Design: Com este app é possível decorar um ambiente completo, virtualmente. Com a ferramenta, você fotografa o espaço e adiciona sobre a imagem modelos 3D de móveis, tapetes e outros objetos decorativos. Também é possível mudar o revestimento do piso e a cor das paredes.
App gratuito. Download Android e IOS.

Casa e Jardim: Este aplicativo tem 500 dicas com soluções de decoração, arquitetura e paisagismo. Há ideias para organizar os brinquedos das crianças, exibir as fotos da família ou dar uma cara nova aos móveis e ambientes. É possível buscar por palavras específicas para encontrar a solução exata para cada questão.
App gratuito. Download IOS.

Photo Measures Lite: Ajuda a guardar as medidas de cada espaço da sua casa. Assim, quando você estiver em uma loja e for comprar um sofá ou outros objetos grandes, não vai ter dúvidas se eles irão caber – ou não – no seu ambiente.
App gratuito. Download Android e IOS.


Conheça alguns termos do mercado imobiliário

Deixar um comentário

O mercado imobiliário é cheio de termos desconhecidos para os leigos. Listamos, abaixo, alguns termos bastante utilizados no dia a dia entre os profissionais do segmento e que nem sempre são de conhecimento da população em geral:

ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA: Ato de transferência de um bem móvel ou imóvel do devedor para o credor, em garantia do pagamento da dívida. O devedor detém a posse do bem, para seu uso. Após a quitação da dívida, o comprador adquire a propriedade definitiva do bem. Atualmente os financiamentos imobiliários são feitos com esta modalidade de garantia.

AVERBAÇÃO: Anotação feita pelo Cartório de Registro de Imóveis de qualquer alteração que diga respeito ao proprietário (subjetiva) ou ao imóvel (objetiva) na matrícula do imóvel.

DENÚNCIA CHEIA: Rompimento de contrato de locação feito pelo locador por motivo de infração do locatário ou outro motivo previsto em lei.

DENÚNCIA VAZIA: Rompimento de contrato de locação feito pelo locador por conveniência própria sem necessidade de apresentar justificativas para a retomada do imóvel. Quando aplicável, a denúncia vazia obriga o inquilino a desocupar o imóvel em um prazo de 30 dias. É possível aplicar a denúncia vazia a contratos residenciais de 30 meses já vencidos, e também a locações com mais de cinco anos consecutivos.

HABITE-SE: Auto de conclusão da obra, lavrado pelo poder público municipal, que atesta a habitabilidade da mesma. O imóvel só pode ser ocupado depois da concessão do Habite-se. A emissão do documento implica em vistorias no local, quando se verifica se a obra foi executada de acordo com o projeto aprovado, e também se atende a vários requisitos legais (parecer do Corpo de Bombeiros, das companhias de energia elétrica, água e gás, entre outras).

INCORPORAÇÃO IMOBILIÁRIA: 1. Ato ou efeito de incorporar ou empreender um projeto imobiliário. 2. Conjunto de atividades através das quais é possível uma empresa ou pessoa física construir uma edificação, promovendo a alienação total ou parcial das unidades autônomas que a compõem. 3. Processo que permite a comercialização legal de uma edificação que ainda está na planta ou em fase de construção.

LAUDÊMIO: Imposta pago a cada transação de compra e venda por qualquer imóvel que esteja em área da União, como aqueles que se localizam na orla marítima e outros classificados como “terrenos de marinha”. Quando alguém decide vender um imóvel que esteja em área da União, precisa pedir uma certidão de ocupação ou aforamento (conforme a classificação do terreno) à gerência regional da Secretaria do Patrimônio da União, órgão ligado do Ministério do Planejamento. Sem essa certidão, os cartórios de notas e registro de imóveis estão impedidos, por lei, de lavrar e registrar a escritura.


Qual o melhor piso para sua casa?

Deixar um comentário

Na hora de escolher o piso de um ambiente é preciso levar em consideração aspectos que vão muito além da estética. Antes de optar pelo revestimento pare e pense: o local é de alto tráfego? A área recebe luz solar direta? É uma área molhada? Essas e outras perguntas irão determinar qual o melhor piso para cada espaço. Para te ajudar seguem, abaixo, algumas informações sobre os principais pisos existentes no mercado:

PORCELANATO: É o queridinho do momento. Ideal para lugares de alto tráfego e áreas molhadas, pois apresenta alta resistência mecânica e baixíssima absorção de água. É produzido com uma mistura de argila e minerais e é encontrado em diversos tamanhos, inclusive em formato de réguas, com aspecto de madeira.

CERÂMICA: Altamente resistente, é produzida somente com argila. Possui uma variedade muito grande de tamanhos e padrões, o que a torna uma excelente opção. Os preços variam bastante e a cerâmica pode ser aplicada em qualquer ambiente da casa.

PASTILHAS: Disponíveis em diversos materiais (vidro, porcelana, pedra natural, aço inox e madeira), devem compor a decoração como detalhe, revestindo parte de paredes.

LAMINADOS: Compostos por lâminas de madeira em larguras e comprimentos variados, oferecem praticidade e economia. Com preço acessível, a instalação é prática e limpa, já que as peças são de encaixe e utilizam uma cola específica. Os laminados devem ser evitados em ambientes com alta exposição solar e em áreas molhadas como cozinha, banheiro e lavanderia.

PISO VINÍLICO: Produzido em PVC, é flexível e colocado em cima do piso já existente no local onde vai ser instalado, o que facilita e agiliza a obra. Possui entre dois e três milímetros de espessura, é naturalmente acústico e tem propriedade antialérgica (o que o torna uma excelente opção para quartos infantis). O preço é bastante acessível.


Aumento do teto do FGTS impacta positivamente mercado imobiliário

Deixar um comentário

O ano efetivamente começou com notícias promissoras para a economia brasileira, de modo especial para o setor da construção civil. Até o dia 31 de dezembro de 2017 o limite máximo para o financiamento de imóveis com utilização do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) é de R$ 1,5 milhão, para todas as regiões do País.

A medida, anunciada pelo Ministério do Planejamento no final do mês de fevereiro, deve injetar R$ 4,9 bilhões na economia brasileira este ano, o que equivale a 0,07% do PIB (Produto Interno Bruto). Esses números pertencem a um estudo conduzido pela Secretaria de Planejamento e Assuntos Estratégicos (Seplan), do Ministério do Planejamento.

Segundo nota oficial divulgada pelo governo, “com a mudança, os mutuários terão acesso não só às taxas de juros aplicáveis ao SFH, em geral mais baixas do que aquelas vinculadas a outros tipos de operações imobiliárias, mas à possibilidade de movimentar os recursos de suas contas vinculadas ao FGTS para pagamento de parte das prestações ou para a amortização dos financiamentos”.  O FGTS pode ser utilizado, também, para dar a entrada em um imóvel.

A medida beneficiará principalmente a classe média e proporcionará o crescimento nas vendas dos imóveis estocados, além de estimular o lançamento de novos empreendimentos e a geração de empregos no setor. O aumento do teto do FGTS complementa as demais anunciadas pelo Governo Federal que buscam estimular o setor da construção civil brasileiro, como o anúncio da redução da inflação até o final do ano e mudanças nas regras do Minha Casa Minha Vida, cujo teto dos imóveis passou para R$ 190 mil e o limite de renda subiu para R$ 9 mil.

Ayrton Piccolo, empresário do setor imobiliário


Mitos e verdades na hora de pintar as paredes

Deixar um comentário

Se sua casa acabou de ser construída ou se você só quer mesmo dar uma renovada nas paredes, com certeza está às voltas com latas de tintas e se perguntando: e agora? Que tom escolher, qual a melhor tinta para cada ambiente? Para ajudar um pouquinho nessa tarefa, listamos a seguir alguns mitos e verdades sobre o processo de pintura de paredes. Confira!

1 – Tons mais claros deixam o ambiente mais iluminado. Verdade.

Pensar em tons claros para iluminar um ambiente é válido, mas também é preciso se preocupar com a iluminação, pois a luz é que faz toda a diferença em um espaço. O ideal, para não correr o risco de errar, é testar a cor escolhida com as três luzes do dia: manhã, tarde e noite.

2 – As cores das paredes interferem no tamanho do cômodo. Mito.

As cores não alteram o tamanho do cômodo, é óbvio, mas podem mudar a percepção que se tem deles. Cores claras dão impressão de amplitude; já tonalidades escuras, usadas na parede frontal de um quarto, por exemplo, “alongam” o ambiente.

3 – A cor da fachada deve combinar com a cor interna. Mito.

A cor da fachada deve combinar com o estilo da casa, cor dos portões, portas, janelas. Para os ambientes internos, o tom das paredes deve harmonizar com os móveis e elementos decorativos.

4 – Escolher uma marca de tinta mais barata ajuda a economizar. Mito.

Escolher tintas mais baratas nem sempre é um bom negócio. Isso porque as tintas de qualidade superior (mais caras) costumam ter maior quantidade de pigmentos, resultando em uma aplicação melhor, com menos demãos de tinta.

5 – É necessário diluir a tinta. Verdade.

Esse é um dos principais processos que interferem no resultado da pintura. A tinta deve ser diluída exatamente como explicado na embalagem.

7 – Usar chave de fenda para diluir a tinta interfere em sua qualidade. Verdade.

O ideal é usar um mexedor no formato de régua, como uma espátula.

Enfim, seja qual for a cor que você escolher, o que desejamos é que você e sua família vivam sempre em paz e harmonia no seu lar.


Prepare sua casa para a venda

Deixar um comentário

Imagine a cena: você está interessado em comprar uma casa, chega para conhecer o local e dá de cara com uma fachada pichada e um jardim que mais parece um matagal. Entra e se depara com paredes descascadas e teto manchado. Anda mais um pouco e observa azulejos rachados e pisos quebrados. Isso, sem falar em uma parede cor de abóbora, de gosto duvidoso. O que acontece? Sua empolgação pelo imóvel naufraga na hora e, muito provavelmente, você vai desistir de comprá-lo. Por isso, se você está querendo vender sua casa, preste atenção nas dicas abaixo e aumente as chances de vender seu imóvel rapidinho:
•Faça a manutenção preventiva e constante: manter a boa aparência do lugar ajuda a vender. Pequenas manchas na parede e no teto podem ser suficientes para que o potencial comprador perca o interesse. A manutenção preventiva é a forma mais barata de não deixar o imóvel desvalorizar.
•Prefira cores claras e neutras na pintura: um imóvel pintado com cores claras, como brancos e tons pastel, tem mais chance de agradar um número maior de pessoas. Esses tons clareiam o ambiente, dão aspecto de vida e luminosidade, deixando o ambiente mais agradável.
•Não descuide da fachada: não adianta a parte interna estar impecável se o exterior estiver descuidado. Uma fachada bem pintada e com bom acabamento é uma forma de criar uma boa impressão sobre o imóvel sem ter que gastar muito.
•Não deixe seu jardim virar um matagal: jardim com mato dá impressão de descuido e abandono. Pode parecer algo insignificante, mas pode influenciar negativamente o potencial comprador.
•Deixe a documentação em dia para acelerar o negócio: nada de contrato de gaveta, o único documento válido é a escritura, que deve estar em seu nome. Se o imóvel não estiver regularizado, a venda pode gerar muita dor de cabeça.
•Deixe as contas do imóvel em dia: obrigações financeiras não cumpridas também prejudicam a venda do imóvel. IPTU e demais taxas devem estar em dia.
Além de todas essas dicas que, em sua grande maioria valem também para apartamentos, terrenos e imóveis comerciais, procure uma imobiliária idônea, de confiança, que possa te ajudar a negociar o imóvel. Se você está interessado em vender ou comprar uma casa, dê uma olhadinha no nosso site antes: galeriaimoveis.com.br


BOAS NOTICIAS

Deixar um comentário

Mais notícias para animar o mercado: o Governo anunciou na última semana o aumento do teto do valor dos imóveis para usar o FGTS, passando para R$ 1,5 milhão em algumas capitais. No caso de Joinville o valor passou de R$ 850 mil para R$ 950 mil.


Cores dos ambientes ajudam a desestressar

Deixar um comentário

Depois de um dia estressante no trabalho tudo o que queremos é chegar em casa e relaxar. Sabia que as cores dos ambientes podem contribuir para esse relaxamento? Veja, abaixo, as propriedades atribuídas a algumas cores e aproveite para colocá-las nos espaços da sua casa. Elas podem estar nas paredes, móveis ou objetos, tanto faz.

Azul: Tem efeito calmante e ajuda a diminuir a tensão acumulada durante o dia. Ideal para o quarto, pois a tranquilidade que passa induz ao sono.

Lavanda: Traz equilíbrio e paz.

Rosa: Suaviza a energia e deixa o ambiente mais ameno.

Verde: Carrega um grande potencial de relaxamento, trazendo frescor e sensação de conforto. Aumenta o bem-estar físico e emocional.

Cinza: Deixa o ambiente mais claro e tranquilo. Como é neutra, fica bem em qualquer lugar, do escritório à cozinha.

Lilás: Cor ligada à espiritualidade, tem o poder de elevar o astral.

Gelo: Cor ideal para quem precisa desestressar, tem dificuldade para dormir ou para quem gosta de meditar.


Teto para o Minha Casa Minha Vida sobe para R$ 9 mil

Deixar um comentário

O governo federal anunciou, no início da semana, mudanças significativas no programa Minha Casa Minha Vida (MCMV), que contemplam a ampliação da faixa de renda e do valor dos imóveis que se enquadram no programa. A partir de agora, famílias com renda de até R$ 9 mil poderão ter acesso aos financiamentos do MCMV. Anteriormente, o teto era de R$ 6.500. O valor máximo dos imóveis que podem ser financiados através do programa também subiu e varia conforme a localidade.

As mudanças viabilizarão o lançamento de novos empreendimentos no segundo semestre e devem reduzir o desemprego no setor. Durante o anúncio das medidas, o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção, José Carlos Martins, elogiou as medidas. “Nos últimos tempos, o setor perdeu muitos empregos e agora começamos a estimular (novamente a expansão por meio da construção)”, disse.
O Governo anunciou, ainda, a meta de contratar o financiamento de 610 mil unidades habitacionais este ano, em todas as faixas do Minha Casa Minha Vida.  “O que vemos hoje é uma combinação virtuosa de estímulo ao setor com fortalecimento de um programa social da maior relevância, que é o Minha Casa Minha Vida”, afirmou o presidente Michel Temer durante o anúncio das mudanças.


Construção civil começa 2017 com ânimo renovado

Deixar um comentário

A construção civil está com os ânimos renovados! O motivo é a expectativa de que os juros básicos cheguem a menos de 10% até o final de 2017. Os lançamentos de imóveis na planta devem voltar no segundo semestre, juntamente com os cerca de 200 mil empregos perdidos no setor em 2016. Na verdade, os sinais positivos já começaram no final do ano passado: segundo o índice Abrainc-Fipe, que abrange todo o País, os lançamentos de imóveis dispararam em novembro, crescendo 76,1% em relação ao mesmo período de 2015. As vendas cresceram 9,8%.